Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Bolsonaro nega intenção de recriar imposto nos moldes da CPMF

20 de Setembro de 2018 08:51
55 0
Bolsonaro nega intenção de recriar imposto nos moldes da CPMF

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, negou, na noite desta quarta-feira (19), que sua equipe de economia pretenda recriar um imposto nos moldes da CPMF e que pretenderia criar uma alíquota única do IR (Imposto de Rende) de 20% para pessoas físicas e jurídicas.

"Ignorem essas notícias mal intencionadas dizendo que pretendermos recriar a CPMF. Não procede. Querem criar pânico pois estão em pânico com nossa chance de vitória. Ninguém aguenta mais impostos, temos consciência disso", afirmou o candidato através de sua conta no Twitter.

O jornal Folha de S.Paulo informou que, na terça-feira (18), o economista Paulo Guedes, que comandaria o Ministério da Fazenda em um governo com Bolsonaro presidente, anunciou a uma plateia restrita o interesse em recriar o pacote tributário. A intenção seria aplicar a mesma taxa na tributação da distribuição de lucros e dividendos.

Por outro lado, segundo a reportagem, a equipe econômica do candidato estaria estudando eliminar a contribuição patronal para a previdência. Guedes estaria sendo auxiliado pelo economista Marcos Cintra, que teria o convencido a criar o imposto nos moldes da CPMF.

À agência de notícias internacionais Reuters, o presidente do PSL-SP, Major Olimpio, afirmou que, mesmo na unidade de terapia semi-intensiva do hospital Albert Einstein, Bolsonaro telefonou para Paulo Guedes para pedir explicações sobre uma proposta.

Guedes explicou a Bolsonaro, segundo o major, que jamais teve a intenção de recriar a CPMF, mas sim a adoção de um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) em uma simplificação tributária a ser implementada pelo novo governo e que não iria aumentar a carga tributária.

Olimpio, que também conversou com Guedes por telefone pela manhã e visitou Bolsonaro no hospital à tarde, afirmou que não há nenhuma decisão tomada sobre a sugestão.

Fonte: noticias.uol.com.br

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0