Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Consumidores tentam limpar nome em feirão da Serasa em São Paulo

23 de Novembro de 2016 08:00
80 0
Consumidores tentam limpar nome em feirão da Serasa em São Paulo

Evento entra em seu segundo dia nesta quarta e vai até sábado.Após filas no primeiro dia, consumidores tentam renegociar dívidas.

Após registrar filas no primeiro dia, o feirão Limpa Nome da Serasa segue em São Paulo até o fim de semana. Alguns consumidores já fecharam acordos nesta terça-feira (22) para quitar suas dívidas. Outros não conseguiram renegociar os débitos na abertura do feirão e vão tentar ser atendidos nesta quarta-feira (23).

Demitida há 2 anos após a queda nas vendas da loja de lingerie onde trabalhava, ela tem se virado como manicure, mas conta que a renda não tem sido suficiente para custear as despesas da família. Com contas como água e luz atrasadas, Eliane calcula que as pendências se aproximem de R$ 2 mil.

O pedreiro Nildo Agostinho, de 55 anos, também precisará voltar. No primeiro dia, ele não conseguiu renegociar uma dívida de cartão de crédito de R$ 10 mil que acumulou após ficar desempregado. “Estou vivendo de bicos. Não consigo pagar as contas e os juros vão acumulando”, reclama. Ele afirma que não conseguiu renegociar porque a dívida está também no nome de sua mulher, que não estava presente.

A cabeleireira Sheila Valeria Santos, de 37 anos, foi ao feirão para tentar renegociar uma dívida e não conseguiu, mas acabou descobrindo outra. Ela tinha uma pendência de cerca de R$ 200 no cartão de crédito. Levou R$ 400 em espécie ao evento para garantir que conseguiria quitar de vez a situação. No entanto, ela não conseguiu.

Mas, após consultar seu nome, descobriu um outro débito, de R$ 1,8 mil, que havia ficado em aberto sem que ela soubesse após emprestar o cartão para um familiar. No feirão, foi oferecido então que ela pagasse R$ 509 à vista. “Eu vim com R$ 400. Estou desempregada e não posso assumir uma dívida”, conta. No fim, a empresa aceitou os R$ 400 e ela resolveu a questão.

Leia também: Infanta Cristina muda-se para Portugal após fim do caso Nóos

A vendedora autônoma Vilma Maria Dias, de 42 anos, também foi ao feirão para tentar renegociar uma dívida de cartão de crédito que acumulou após as vendas caírem. “Quero entrar no ano que vem com o nome limpo”, diz. Com um débito de R$ 1.450, ela recebeu a oferta para pagar R$ 450 à vista ou 6 parcelas de R$ 90. Escolheu a segunda opção. “Os R$ 450 agora eu não tenho, mas os R$ 90 todo mês sim.”

O aposentado Edmar Loureiro, de 76 anos, também renegociou uma dívida que tinha com um banco e acertou o pagamento em parcelas. “De R$ 13 mil, foi para R$ 8 mil. E eu vou pagar R$ 150 por mês durante um caminhão de meses”, disse ele, apontando a vantagem de conseguir “deixar um dinheirinho reservado”.

A dona de casa Marisa Alves da Hora, de 56 anos, foi ao feirão após receber uma carta de cobrança da operadora Vivo, mas afirma que não conseguiu resolver o problema. “Fui bem atendida, mas consta que não tenho dívidas atrasadas”, diz ela.

Local: Shopping Itaquera – Av. José Pinheiro Borges, s/n, – Itaquera – SP.

Empresas que estão no feirão em São Paulo: Bradescard, Bradesco Cartões, Losango, Santander, Casas Bahia, Ponto Frio, Banco Pan, Banco BMG, NET, Claro, Embratel, Recovery, Avon, Anhanguera, Tricard, Atlântico Fidc, Nextel, Ativos e Oeste Fidc.

Local: Estacionamento do Shopping Light – região central de SP (entrada pela Rua Formosa – próximo ao Viaduto do Chá)

Horário: das 9h às 18h (segunda a sexta-feira) e das 8h às 12h (sábados)

Leia também: Escolhido por Trump recusa cargo de conselheiro de segurança

Fonte: g1.globo.com

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0