Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

FMI avisa Portugal que economia vai abrandar e aconselha reformas

10 de Outubro de 2017 18:18
10 0
FMI avisa Portugal que economia vai abrandar e aconselha reformas

O Fundo Monetário Internacional continua a prever que a economia portuguesa cresça 2,5% este ano, mas que abrande em 2018, ano em que deverá crescer 2%

O Fundo Monetário Internacional (FMI) continua a prever que a economia portuguesa cresça 2,5% este ano, mas que abrande em 2018, ano em que deverá crescer 2%.

No 'World Economic Outlook' divulgado esta terça-feira, o FMI estimou que o ritmo de crescimento da economia portuguesa comece a cair para 2% em 2018 até aos 1,2% em 2022.

Por isso, o FMI aconselha Portugal a avançar com reformas no mercado de trabalho e na Administração Pública.

As previsões para este ano e para o próximo são idênticas às apresentadas pelo Fundo no final de junho, quando concluiu a última missão pós-programa/do artigo IV a Portugal, mas ficam acima dos números divulgados na atualização do 'World Economic Outlook' de abril.

Quanto ao défice, o FMI continua a esperar que se situe nos 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, deixando inalterada a projeção que avançou em junho.

A instituição liderada por Christine Lagarde manteve também a previsão para 2018 nos 1,4%.

No entanto, para os quatros anos seguintes, o Fundo está agora mais otimista do que há seis meses, a última vez que atualizou as projeções a médio prazo: o FMI espera que o défice de Portugal oscile entre os 1,4% e os 1,5% entre 2019 e 2022 ao passo que em abril variava entre os 2,2% e os 2,6% para o mesmo período.

Comparando com os restantes 18 países da zona euro, Portugal está na metade com pior desempenho orçamental projetado para este ano, segundo os cálculos do FMI, que espera défices mais elevados apenas para Espanha (3,2%), França (3%), Itália (2,2%), Bélgica (1,8%), Grécia (1,7%) e Finlândia (1,5%).

Por oposição, os países com melhores desempenhos orçamentais esperados são Chipre (excedente de 0,9%), Alemanha (0,7%), Holanda (0,6%), Malta (0,5%) e Luxemburgo (0,3%).

Para o conjunto das economias da moeda única europeia, o FMI antecipa um défice de 1,3% do PIB este ano, esperando que este se venha a reduzir gradualmente até 2022, ano em que ficará próximo do equilíbrio, nos -0,1%.

Portugal não deverá acompanhar esta melhoria ao longo do horizonte da projeção, uma vez que em 2022 deverá ter um défice orçamental correspondente a 1,5% do PIB, em linha com o previsto pelo Fundo para este ano.

Em relação ao desempenho da economia da zona euro para este ano, o FMI está mais otimista, antecipando que cresça 2,1%, acima dos 1,9% anteriormente estimados.

O Fundo também melhorou a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos países da moeda única europeia também para 2018, esperando agora que cresça 1,9% no próximo ano, acima dos 1,7% antecipados em julho.

No entanto, ainda que tenha melhorado as projeções de crescimento na zona euro tanto para este ano como para o próximo, a instituição liderada por Christine Lagarde continua a apontar para um abrandamento do ritmo no próximo ano e, para 2022, antecipa a manutenção deste abrandamento da economia, para os 1,5.

Fonte: tvi24.iol.pt

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0