Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Greve compromete o fornecimento de energia e a coleta de lixo

27 de Maio de 2018 00:36
49 0

A falta de combustível está afetando alguns serviços básicos em muitas cidades brasileiras.

Desde sexta-feira (25) a coleta seletiva está suspensa em São Paulo. Setenta caminhões que deveriam estar nas ruas ficaram estacionados nos pátios das empresas, para economizar combustível pra outros serviços.

A coleta de lixo domiciliar e hospitalar continua sendo feita, mas as empresas responsáveis pelo serviço dizem que só conseguem manter os caminhões na rua até segunda feira (28). Se não chegar combustível, essa coleta também vai parar.

Sem os 25 mil litros de diesel que usa diariamente, uma empresa diz que espera contar com a colaboração dos 7,5 milhões de moradores de São Paulo que ela atende.

“A primeira orientação vai ser para que as pessoas deixem o lixo dentro de casa. Ou seja, você vai ter que estocar o lixo até que... Por uma questão de saúde né, questão de... Pra não ir pras ruas... Não ter insetos, ratos, essas coisas assim”, explica Marcelo Gomes presidente da empresa de coleta.

A Guarda Civil Metropolitana conseguiu abastecer toda a frota na sexta-feira (25) e está nas ruas, ainda que economizando combustível.

Os carros do serviço funerário podem rodar até o fim do domingo (27). A autonomia das ambulâncias do Samu é maior: até segunda (28) à noite. É a mesma capacidade dos ônibus urbanos, porque as empresas compraram combustível na tarde deste sábado (26) com o apoio da polícia.

A entrega de merenda não foi normalizada nas escolas da rede municipal, mas elas vão abrir na segunda-feira (28) e servir o que está no estoque.

Os Correios suspenderam os serviços de entrega com dia e hora marcados. E ampliaram o prazo de entrega das postagens de cartas e encomendas. Na sexta (25), o volume de entregas caiu 40% porque os caminhões estão sem combustível ou presos em bloqueios nas estradas.

Faltou diesel também em sete termoelétricas que fornecem energia elétrica para sete municípios de Rondônia. E 200 mil pessoas ficaram no escuro por 12 horas.

"A casa toda escura, a mercadoria na geladeira se estragando porque não tem refrigeração. Durante a noite várias pessoas estão sofrendo com o calor aqui por não ter energia elétrica ", contou um morador em um vídeo.

Na sexta (25) caminhões de óleo diesel foram enviados com escolta para as termoelétricas. A situação só foi normalizada na manhã deste sábado (26).

Fonte: g1.globo.com

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0