Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Grito por diretas-já reuniu 40 mil em Belo Horizonte

17 de Junho de 2017 11:29
38 0
Grito por diretas-já reuniu 40 mil em Belo Horizonte

Cerca de 40 mil pessoas lotaram o Centro de Belo Horizonte para pedir Diretas Já na noite desta sexta-feira (16). Em ato organizado pela União Nacional dos Estudantes, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, universitários de todo o Brasil, artistas e trabalhadores puxaram palavras de ordem contra Michel Temer e a favor da Educação; a noite teve apresentações de vários artistas, como Fernanda Takai, do Pato Fu

Da União Nacional dos Estudantes – Cerca de 40 mil pessoas lotaram o Centro de Belo Horizonte para pedir Diretas Já na noite desta sexta-feira (16). Em ato organizado pela União Nacional dos Estudantes, Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, universitários de todo o Brasil, artistas e trabalhadores puxaram palavras de ordem contra Michel Temer e a favor da Educação.

“Estamos aqui pela restauração da ordem democrática no Brasil, por um movimento estudantil igualitário e contra a agenda de retrocessos imposta por essa corja ilegítima que assaltou o poder”, afirmou o estudante Dhonata Melo, da Universidade Federal do Sul da Bahia, que veio participar do 55º Congresso da UNE (Conune).

Com bandeiras de todas as cores, de diversos movimentos, forças do movimento estudantil e sindicais, o ato rodou o Centro da capital mineira acompanhado de baterias carnavalescas em ritmo de axé e maracatu. Agitada por pessoas de várias colorações ideológicas, chamou atenção uma bandeira da UNE bordada durante uma oficina do Conune ministrada pelo coletivo progressista Linhas do Horizonte.

Vindo de ônibus da Universidade Federal Rural de Pernambuco, o estudante de letras Uiraquitan Júnio fez questão de participar do ato. “É fundamental que os estudantes se posicionem contra os usurpadores do poder que, por vias tenebrosas, tentam modificar a nossa Constituição Federal e prejudicar a classe trabalhadora”, avaliou.

Leia também: OIT faz alerta ao Brasil sobre mudança no combate ao trabalho escravo

Fonte: brasil247.com

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0