ANTT confirma apresentação de sete propostas no leilão da BR-163

25 de Novembro de 2013 22:38

86 0

ANTT confirma apresentação de sete propostas no leilão da BR-163

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) anunciou nesta segunda-feira (25) que sete grupos vão disputar o leilão do trecho da rodovia BR-163 em Mato Grosso, que acontece na próxima quarta-feira (27), a partir das 10h, na BM&FBovespa, em São Paulo.

Os investidores interessados na concessão da rodovia deveriam entregar suas propostas até as 12h desta segunda. Estes sete grupos são, portanto, aqueles que entregaram a documentação dentro do prazo.

O trecho em MT da BR-163 é o segundo a ser leiloado pelo governo dentro do Plano de Investimento em Logística (PIL). O primeiro foi o trecho da BR-050, entre Goiás e Minas Gerais, no dia 18 de setembro, e que teve o consórcio Planalto como vencedor.

Assim no como leilão anterior, vence o da BR-163 o consórcio que oferecer o menor valor para o pedágio que será cobrado dos motoristas. O teto para a tarifa, fixado no edital, é de R$ 5,50 para cada 100 quilômetros.

O prazo de concessão é de 30 anos. Nesse período, a concessionária terá que fazer obras de duplicação e manutenção da rodovia, além de implantar melhorias. O trecho que ficará sob concessão tem 850 quilômetros e vai da divisa entre Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, até a cidade de Sinop (MT).

O PIL foi lançado pelo governo federal em agosto do ano passado e prevê o investimento de R$ 133 bilhões na construção e reforma de rodovias e ferrovias no país. O programa é uma das apostas da presidente Dilma Rousseff para destravar gargalos de infraestrutura e aquecer a economia do país.

Mas apenas em setembro passado foi feito o primeiro leilão do PIL: o trecho da BR-050, entre Goiás e Minas Gerais. A rodovia foi arrematada pelo consórcio Planalto, que propôs a menor tarifa de pedágio: R$ 4,534 para cada 100 quilômetros, deságio de 42,38% em relação ao teto fixado pelo governo.

Junto com a BR-050, o governo pretendia leiloar trecho entre Espírito Santo e Minas da BR-262. A rodovia, porém, ficou de fora porque não recebeu proposta de investidores. O revés levou o governo a anunciar uma revisão do cronograma dos leilões de rodovias do PIL.

- Consórcio Rota do Futuro: Ecorodovias infraestrutura e logística S/A; Coimex Empreendimentos e Participações Ltda; Rio Novo Locações Ltda; Tervap Pitanga Mineração e Pavimentação; Contek Engenharia S/A; A. Madeira Indústria e Comércio Ltda; Urbesa Administração e Participações Ltda.

- Investimentos e participações em infraestrutura (Invepar): Invepar

- Consórcio integração: Fidens Engenharia S/A; Construtora Artepa M. Martins S/A; Via Engenharia S/A; Construtora Barbosa Mello S/A; Carioca Christiani-Nielsen Engenharia S/A.

Fonte: tribunahoje.com

Para página da categoria

Loading...