Casal do Congo é preso pela PF em Campinas, SP, com vistos falsos

13 de Março de 2015 20:42

5 0

Casal do Congo é preso pela PF em Campinas, SP, com vistos falsos

Um casal de congoleses foi preso na tarde desta sexta-feira (13) pela Polícia Federal, em Campinas (SP), com vistos falsificados. Segundo a corporação, eles se apresentaram junto com os filhos, para dar continuidade ao pedido de refúgio no Brasil e duas das permissões, do homem, de 34 anos, e uma das crianças, eram irregulares.

A mulher, de 28 anos, trabalhava na Embaixada do Brasil em Kinshasa, no Congo, no setor de emissão de vistos para quem pretende viajar e permanecer temporariamente no Brasil. De acordo com a PF, ela usou o conhecimento relacionado à documentação e possivelmente falsificou os vistos.

Endereço em Hortolândia O marido dela chegou do Congo no final de 2014 com a documentação irregular, com o objetivo de trabalhar e se estabelecer no país. Após fixar endereço em Hortolândia (SP), o homem procurou a Polícia Federal para pedir refúgio no Brasil. A esposa chegou ao país junto com os dois filhos em janeiro de 2015.

Um casal de congoleses foi preso na tarde desta sexta-feira (13) pela Polícia Federal, em Campinas (SP), com vistos falsificados. Segundo a corporação, eles se apresentaram junto com os filhos, para dar continuidade ao pedido de refúgio no Brasil e duas das permissões, do homem, de 34 anos, e uma das crianças, eram irregulares.

A mulher, de 28 anos, trabalhava na Embaixada do Brasil em Kinshasa, no Congo, no setor de emissão de vistos para quem pretende viajar e permanecer temporariamente no Brasil. De acordo com a PF, ela usou o conhecimento relacionado à documentação e possivelmente falsificou os vistos.

Eles confessaram, segundo a PF, que a pretensão era de que a esposa retornasse ao Congo com a criança mais nova, permanecendo no Brasil o marido e o filho mais velho. O casal foi preso pelo uso de documentação falsa, sujeitos à pena de 2 a 6 anos de reclusão e multa.

Guarda dos filhos O homem foi encaminhado para a cadeia anexa ao 2º distrito policial de Campinas, e a esposa levada ao Presídio Feminino de Paulínia (SP), onde permanecem à disposição da Justiça Federal. Os filhos do casal, de 3 e 1 ano, ficaram sob a guarda de uma tia da funcionária da embaixada no Congo, informou a corporação.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...