'Sem cirurgias ou dietas milagrosas', afirma psicólogo que emagreceu 55kg

27 de Julho de 2014 14:12

8 0

'Sem cirurgias ou dietas milagrosas', afirma psicólogo que emagreceu 55kg

Ele pesava 145 quilos e investiu em exercícios e na reeducação alimentar.Felipe Gomes, de Araraquara, é avesso a radicalismos e ainda come doces.

Emagrecer é uma mudança de hábito e comportamento. Foi pensando assim, sem recorrer a dietas milagrosas ou cirurgias, que o psicólogo Felipe Gomes, morador de Araraquara (SP), perdeu 55 quilos desde setembro de 2012. Comer de três em três horas e investir na malhação foram as principais apostas para remodelar o corpo, que pesava 145 quilos e atualmente está com 90.

“As pessoas perguntam se tomei remédios ou se fiz redução de estômago e muitas nem acreditam. Mas sou contrário a tudo isso. Cirurgia só para obesidade mórbida, que nunca foi o meu caso. Emagreci 55 quilos sem milagres. Na infância, sempre fui um pouco acima do peso, mas a situação só saiu de controle aos 18 anos, no segundo ano de faculdade. Passei dos 100 até 115, 120 e daí a quase 150 quilos", destacou o jovem de 27 anos.

Produtos integrais, leite desnatado e queijo branco são alguns itens incorporados no cardápio de Gomes, que mede 1,82 metro e também é professor universitário. Antigos costumes alimentares foram eliminados, como o de beber dois litros de refrigerante por dia. “Comia bolos e bolachas de sobremesa. Lanchava dois X-eggs e, em cada um, botava um tubo de maionese”, recordou.

Sem radicalismos O açúcar também foi banido na hora de adoçar as bebidas. Apesar das mudanças, Gomes se diz avesso a radicalismos. Nunca deixou de comer doces aos finais de semana, por exemplo, e, de vez enquanto, ainda encara um sanduíche Bauru, no bar do personal trainer e amigo de infância Matheus Bersanetti. "Como seis frutas por dia. Mas até hoje não consumo verduras e legumes. O máximo que consigo é tomate e palmito", disse, ciente de não agradar o nutricionista nesse último quesito.

Produtos integrais, leite desnatado e queijo branco são alguns itens incorporados no cardápio de Gomes, que mede 1,82 metro e também é professor universitário. Antigos costumes alimentares foram eliminados, como o de beber dois litros de refrigerante por dia. “Comia bolos e bolachas de sobremesa. Lanchava dois X-eggs e, em cada um, botava um tubo de maionese”, recordou.

O ex-obeso vem recebendo o acompanhamento do nutricionista Alexandre Laverde há um ano. "Ele diminuiu o consumo de alimentos de alto índice glicêmico (açúcares e carboidratos refinados), passou a consumir menos alimentos industrializados e a fazer refeições fracionadas a cada três horas. Tudo isso calculado de acordo com sua necessidade e composição corporal (massa muscular e gordura) e com as mudanças que aconteciam em seu corpo e estilo de vida", disse Laverde, que é especialista em nutrição esportiva.

Saúde e sinais de alerta A revolução aconteceu depois que o corpo deu sinais de alerta. Gomes convivia com fortes enxaquecas provocadas pela pressão arterial alta, sempre na faixa de 16 por 10. Também sofria cólicas diárias e tinha rinite alérgica. "Era muito ansioso, suava muito e ficava ofegante por qualquer coisa", lembrou.

O personal lembra que o amigo sequer conseguia correr na esteira quando ingressou na academia. "Não podia chegar a 6 km/h, pois não tinha fôlego. Também era muito pesado e não podia forçar as articulações. Fizemos uma adaptação na esteira, inclinando-a, para que ele pudesse andar como se estivesse trotando", contou Bersanetti.

Malhação Já no primeiro mês de malhação o psicólogo perdeu oito quilos. "Pessoas obesas retêm muito líquido. Boa parte do que ele perdeu no início foi água", citou o professor de educação física. Ao fim do primeiro ano, já eram 40 quilos emagrecidos. Foi só após essa etapa que Gomes decidiu procurar Laverde para ter um programa de acompanhamento nutricional.

Além da malhação de 1h30 diária na academia, com atividades aeróbicas e exercícios em aparelhos, o morador de Araraquara também reincorporou na rotina antigos prazeres da infância, como o de pedalar. Como já perdeu bastante peso, já teve a sequência de malhação alterada em janeiro. “Antes, o treino era de resistência, para queimar gordura. Agora é de hipertrofia, para ganhar massa muscular”, explicou Bersanetti.

Pelancas A musculação evitou um “pesadelo” que normalmente assola àqueles que perdem muito peso. São as conhecidas pelancas, camadas de pele que ficam e normalmente só são retiradas com cirurgia.

Bom exemplo Para o nutricionista, o caso de Gomes é um exemplo de emagrecimento saudável. “Toda pessoa tem total condição de modificar seu corpo e melhorar a saúde, sem procedimentos extremos e dietas radicais, shakes ou chás milagrosos. Nosso organismo é uma máquina perfeita e responde a cada estímulo oferecido de forma magistral. É preciso acreditar na capacidade de mudança. Determinação é tudo”, ressaltou.

Ainda de acordo com ele, “é preciso procurar um programa de exercícios e um nutricionista, que é o profissional que vai adequar a alimentação de forma individualizada. Cirurgias bariátricas (de redução de estômago) são indicadas somente quando há necessidade de emagrecimento urgente, por condições de saúde capazes de levar o paciente à morte”, afirmou.

Dica O determinado psicólogo dá uma dica para quem quiser seguir seu exemplo. “Diria para a pessoa nunca radicalizar. Não adianta acordar querendo só comer salada ou pão integral. Se a mudança não for gradual, chega uma hora que ninguém aguenta. É preciso gostar daquilo que está comendo. É uma mudança de comportamento e até do paladar mesmo. O corpo vai dando os sinais”, revelou quem atualmente torce o nariz para uma coxinha de frango, por achá-la muito gordurosa.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...