Dezenove cidades e o DF têm manifestações e passeatas

13 de Março de 2015 20:55

3 0

A gente volta a informar sobre manifestações e passeatas que vêm acontecendo desde a manhã desta sexta-feira (13) em pelo menos 19 cidades e mais o Distrito Federal até agora.

São atos públicos convocados por centrais sindicais e movimentos sociais, com várias reivindicações. A CUT, a maior central sindical, saiu em defesa dos direitos da classe trabalhadora, da Petrobras, da democracia e da reforma política. Há também estudantes, professores e outras categorias reunidas em defesa de diferentes causas.

Em São Paulo são duas manifestações diferentes, lideradas pela CUT e por professores estaduais que se encontraram num ponto da Avenida Paulista, em frente ao vão do Masp, o Museu de Arte de São Paulo. Esse grupo se dividiu novamente e vai se encontrar na Rua da Consolação. A passeata da CUT segue para Consolação para se encontrar novamente com os professores estaduais.

Os professores da rede estadual acabaram de decretar greve por tempo indeterminado. Eles querem 75% de reajuste.

Várias pessoas carregam faixas e cartazes em defesa da presidente Dilma Rousseff. De acordo com a Polícia Militar, são 8 mil manifestantes ao todo. Ainda não temos os números estimados pelos manifestantes.

O ato público comandado pela CUT se concentrou mais cedo em frente à sede da Petrobras, também na Avenida Paulista. Para o PT, esta sexta-feira é dia de luta em defesa da democracia.

Em Aracaju, a manifestação reúne cerca de 3 mil pessoas, segundo os organizadores. A polícia informou que são cerca de 700 pessoas. O protesto segue pelas principais avenidas da cidade.

A manifestação foi organizada pela CUT e reúne centrais sindicais, integrantes do Movimento dos Sem-Terra e do Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos. Os manifestantes defendem a Petrobras e a reforma agrária.

No Rio de Janeiro, a manifestação na Cinelândia ocupa quase toda a praça. Lideranças do movimento discursam em defesa da presidente Dilma. O protesto, convocado pela CUT e pela Federação Única dos Petroleiros, além de outras centrais sindicais, e a favor também da democracia, da Petrobras, defende os direitos dos trabalhadores e a reforma política.

São muitas faixas, cartazes e bandeiras, várias com o nome da presidente Dilma. Participam trabalhadores, estudantes e o MST. Está previsto para logo mais uma abraço à sede da Petrobras.

Você vai ter outras informações a qualquer momento e a cobertura completa no Jornal Nacional, às 20h30.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...