Homem esfaqueado em ônibus está na UTI, em estado grave, informa HR

27 de Julho de 2014 14:05

3 0

Cirurgia no abdomen identificou lesão no fígado causada pela facada.Motorista que cometeu o crime segue foragido; outro passageiro morreu.

O paciente Edvando da Silva Soares, 43 anos, ferido por uma facada após uma discussão em um ônibus que fazia a linha Recife-Cumaru, na sexta (25), foi transferido para a UTI do Hospital da Restauração, na noite de sábado (26), após passar por cirurgia no abdomen. De acordo com a assessoria de comunicação da unidade de saúde, que fica no Recife, o quadro dele é grave e não há previsão de alta.

A cirurgia identificou um ferimento no fígado de Edvando, provocado pela facada. Ele está respirando com a ajuda de aparelhos. "Meu irmão é trabalhador, o cara que morreu era trabalhador, pai de família também. Por causa de uma besteira o garoto perdeu a vida, meu irmão tá aí desse jeito... Eu só quero trazer meu irmão de volta", lamentou Cidiclei da Silva Soares, irmão de Edvando, em entrevista à TV Globo.

A confusão começou após uma discussão motivada por excesso de velocidade. O coletivo, da Rodoviária Borborema, fazia a linha Recife-Cumaru, mas o homicídio foi registrado durante uma das paradas da viagem, no município de Carpina, Mata Norte do estado. Testemunhas contaram à Polícia Civil que as vítimas reclamaram que o motorista dirigia em velocidade acima da permitida, chegando a ignorar o limite de lombadas eletrônicas. O condutor, que está foragido, teria usado um punhal para cometer o homicídio.

De acordo com a agente da Polícia Civil Márcia Cristina, da Delegacia de Carpina, onde o caso foi registrado, a discussão no ônibus teria sido gerada depois de outra briga, entre o condutor do coletivo e de outro veículo. “O suspeito teria sido trancado por um carro na pista e começado a bater boca com o motorista desse veículo, que teria, inclusive, apontado uma arma para ele. Após esse carro sair do local, o motorista do ônibus começou a persegui-lo, o que gerou reclamações por parte dos passageiros. Eles passaram a se queixar da velocidade, dando início a uma nova briga”, contou.

A confusão começou após uma discussão motivada por excesso de velocidade. O coletivo, da Rodoviária Borborema, fazia a linha Recife-Cumaru, mas o homicídio foi registrado durante uma das paradas da viagem, no município de Carpina, Mata Norte do estado. Testemunhas contaram à Polícia Civil que as vítimas reclamaram que o motorista dirigia em velocidade acima da permitida, chegando a ignorar o limite de lombadas eletrônicas. O condutor, que está foragido, teria usado um punhal para cometer o homicídio.

Ainda segundo ela, um dos passageiros teria perguntando ao motorista se "ele levava bois ou gente" no ônibus. Testemunhas relataram que o suspeito tomou o punhal do cobrador e esfaqueou os dois passageiros após o ônibus ter parado em um ponto de Carpina.

O passageiro José Jacuan Souza Moreira dos Santos, de 32 anos, ainda foi socorrido e levado a uma unidade de saúde de Carpina, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Edvando da Silva Soares foi levado para o mesmo centro médico e, posteriormente, transferido para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife.

O corpo de José Jacuan foi liberado do Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife na manhã deste sábado (26). O velório ocorreu em Carpina. O corpo foi enterrado no fim da tarde, no Cemitério Campo da Saudade, mesmo município.

Um dos irmãos de José, Uiran Souza Moreira dos Santos, lamentou a morte. "O que eu vi comentar, o que a testemunha falou, é que ele saiu do trabalho e pegou o ônibus, ele e o outro rapaz. Chegou no meio do caminho, teve uma discussão do motorista com um veículo que ia passando. Nessa discussão, ele arrastou o ônibus de vez, passou num quebra-mola com tudo. Aí meu irmão falou: ‘vocês tão levando gente, né bicho não’. Ele [o motorista] respondeu com palavras agressivas. Na hora de descer, aqui já perto, em Carpina, não sei se foi meu irmão ou o outro rapaz, falou: ‘vocês têm que trabalhar direito, que a gente é passageiro'. Aí ele já levantou agredindo. O que ele fez não se faz com ninguém, ainda mais com um cidadão, pai de família. Ele deixou três filhos, todos menores. A sensação é de desespero, impunidade. Pela hora do acontecimento, era pra ele estar numa prisão, quero justiça", desabafou.

O caso será investigado pelo delegado Bruno Bezerra. Procurada pela reportagem, a Rodoviária Borborema informou que só vai se pronunciar na segunda-feira, após consultar o setor jurídico.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...