Ibovespa fecha próximo ao zero a zero, puxado por queda de Petrobras

28 de Novembro de 2013 20:39

61 0

Após chegar a subir 1,15% no intraday, índice fecha com queda de de 0,03%, puxado por mais sinalizações de deterioração da economia nacional; forte alta da Vale é ofuscada por dia negativo da petrolífera estatal

SÃO PAULO - O Ibovespa voltou a cair nesta quinta-feira (28), ao fechar tímida variação negativa de 0,03%, a 51.846 pontos, em dia de feriado de Ação de Graças nos EUA, que manteve as bolsas locais fechadas.

Após chegar a subir 1,15% no intraday, o benchmark da bolsa brasileira perdeu forças com a divulgação de um superávit primário abaixo do esperado pelo mercado, o que evidencia uma maior deterioração das contas públicas brasileiras. Além disso, também pesou no desempenho do índice nesta sessão, a forte queda das ações da Petrobras (PETR3, R$ 17,73, -2,74%; PETR4, R$ 18,66, -1,63%), companhia com maior participação em sua composição acionária. O volume financeiro negociado na Bovespa foi de R$ 4,28 bilhões, bastante abaixo da média de R$ 7,23 bilhões dos últimos 21 dias.

do governo central referente ao mês de outubro, feita no começo da tarde. Segundo os dados apresentados, o superávit primário - economia para o pagamento de juros da dívida pública - passou de resultado positivo de R$ 9,372 bilhões no mesmo mês do ano passado para R$ 5,436 bilhões este ano. Este é o pior resultado do mês desde 2004, quando o superávit foi de R$ 4,741 bilhões. Com isso, aumentou a aversão a riscos na bolsa, o que fez com que o índice fechasse em queda nesta sessão.

No início da sessão, as ações dos dois setores registravam fortes ganhos em meio às perspectivas de que o ciclo de ajustes da Selic estivesse perto de ser encerrado após o aumento para 10% na véspera.

Já na bolsa, destaque para as ações da Petrobras, que figuraram entre as maiores quedas, na expectativa pelo desfecho da próxima reunião do conselho de administração, que tem como pauta a nova metodologia de reajuste de preços. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o ministro da fazenda, Guido Mantega, pode definir nesta quinta-feira (28) a pendência sobre a nova metodologia de reajustes de combustíveis pedido pela petrolífera. A tendência do governo é conceder um aumento ainda em 2013, de 5% para a gasolina e de 10% para o diesel, mas deixando para 2014 a decisão sobre uma fórmula para dar previsibilidade de caixa para a estatal.

O dia de indicadores negativos também puxou para baixo os papéis de B2W (BTOW3, R$ 14,20, -4,05%), que recuaram forte na véspera do início oficial da Black Friday. Outros destaques de queda foram LLX Logística (LLXL3, R$ 0,99, -3,88%) e Eletropaulo (ELPL4, R$ 9,51, -2,66%).

Fonte: infomoney.com.br

Para página da categoria

Loading...