Juiz de Venâncio Aires descarta receber presos de Porto Alegre

13 de Março de 2015 21:04

8 0

Juiz de Venâncio Aires descarta receber presos de Porto Alegre

A transferência dos presos que estão em delegacias de Porto Alegre, devido à interdição do Presídio Central, para a Penitenciária Estadual de Venâncio Aires está ameaçada. O juiz titular da Vara de Execuções Criminais (VEC) da cidade do Vale do Rio Pardo, João Francisco Goulart Borges, afirmou que não aceitará a chegada de detentos da capital gaúcha, o que poderia representar um aumento na criminalidade da região. A penitenciária inaugurada em outubro deste ano também está interditada devido a falhas estruturais.

"É uma deliberação que não é só minha, é da região. A região dos Vales do Rio Pardo e Taquari é contrária à vinda de presos da capital", disse o magistrado pelo telefone ao G1.

O Presídio Central de Porto Alegre não recebe mais condenados por crimes desde quarta-feira (11). Em entrevista à Rádio Gaúcha no mesmo dia, o Secretário de Segurança, Wantuir Jacini, afirmou que os detentos deverão ser transferidos para o presídio de Venâncio Aires.

Segundo Borges, em dezembro de 2013 o Conselho Penitenciário do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul determinou que as 529 vagas do presídio de Venâncio Aires seriam destinadas somente a presos da região. Depois disso, foi negociado com o governo estadual, na gestão anterior, que presos da Região Metropolitana ficariam no Vale do Rio Pardo até que fosse concluída a casa prisional que está sendo construída em Canoas, na Região Metropolitana.

"Havia uma contrapartida do governo, um acordo com a administração municipal para a doação de uma delegacia nova, a expansão de efetivo da polícia na região, mas nada disso aconteceu. A comunidade, que já tem esse prejuízo da baixa do efetivo, vai ter que conviver com a criminalidade do porto-alegrense", questiona.

Atualmente, a Penitenciária de Venâncio Aires está interditada até que sejam trocados alguns móveis e equipamentos, e seja solucionado um problema de vazamento de gás, além da aquisição de medicamentos. De acordo com Borges, quando for liberada, a casa receberá detentos do Presídio Estadual de Lajeado, no Vale do Taquari.

O juiz acredita que a chegada de presos de Porto Alegre poderia resultar na formação de facções criminosas na região. Além disso, ele crê que a superlotação do Presídio Central deva ser resolvida com o presídio de Canoas.

"Já era para o Presídio de Canoas estar pronto, mas ainda não está. Não atende a nenhum critério técnico de segurança trazer esse contingente, porque eles vão fazer conexões com os criminosos locais e pode haver um incremento do crime na região", alerta.

Leia também: Maia: 'Vamos construir maioria para aprovar reforma da Previdência'

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...