Manifestantes defendem a Petrobras durante protesto em Vitória

13 de Março de 2015 21:15

4 0

Manifestantes defendem a Petrobras durante protesto em Vitória

Manifestantes em defesa da Petrobras em Vitória saíram da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) às 17h20 desta sexta-feira (13) para pedir a valorização da estatal, a reforma política e o fim de medidas provisórias que alteram direitos trabalhistas. O grupo seguiu em direção à sede da estatal, na Reta da Penha.

Os participantes começaram a se reunir por volta das 15 horas em frente ao Teatro Universitário com faixas e cartazes. No local, também havia um carro de som. A Polícia Militar e os organizadores do protesto ainda não tinham uma estimativa do número de participantes às 17h50.

A CUT disse que 2.000 pessoas participam do protesto. A Secretaria de Segurança Pública disse que ainda não tinha um número fechado. Não havia registro de tumultos.

Às 18h, a Guarda Civil Metropolitana disse que havia 6 km de congestionamento entre as avenidas Nossa Senhora da Penha e Fernando Ferrari, no sentido Serra ao Centro de Vitória.

O ato, que também acontece em outras cidades brasileiras, tem a participação de mais de cem sindicatos, com membros da executiva do PT, representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e também da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A presidente da CUT no estado, Noêmia Simonassi, disse que uma das lutas é contra o impeachment, que ela afirma ser "golpismo", mas fez críticas ao governo: "Lutamos pelo direito dos trabalhadores, nós não aceitamos retrocesso. Queremos que o governo refaça essa medidas, queremos sentar e discutir sobre isso", disse, referindo-se a mudanças nas regras do seguro-desemprego.

O diretor da União Nacional dos Estudantes Jonas Lube disse que o motivo do ato são as lutas pelas reformas que o Brasil necessita e a reforma política. "Outro ponto é a defesa da Petrobras, onde milhares de trabalhadores são funcionários e é um patrimônio nacional. A UNE, na década de 1950, foi protagonista na construção dela e conquistou os royalties e fundo do pré-sal. E isso vai ser um grande avanço para o Brasil. A gente defende a não privatização da Petrobras", .

O cofundador nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) e participante da executiva nacional Perly Cipriano afirmou que foi "lutar pela democracia, pela Petrobras, contra a corrupção e contra aqueles que não querem a democracia. Esse momento é dela".

Leia também: Maia: 'Vamos construir maioria para aprovar reforma da Previdência'

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...