Moradores questionam segurança de trecho de atropelamento

29 de Setembro de 2014 22:25

1 0

Há um ano seis jovens morreram na Avenida Japão.Prefeitura colocou lombada e sinalização no local.

Caminhar pela Avenida Japão na altura do Parque São Martinho, em Mogi das Cruzes, ainda é uma tarefa difícil para a família de Elaine Cristina Baptiste Lopes. Ela é mãe de Lucas Baptiste Lopes de 13 anos. Ele foi uma das seis vítimas de um atropelamento que completou um ano no domingo (28).

Um veículo perdeu o controle e atingiu um grupo de dez pessoas que estavam reunidas em um terreno. Após a colisão, o carro capotou. O acidente aconteceu por volta das 00h30. No total seis pessoas morreram e outras ficaram feridas. "Tudo hoje em dia ainda machuca muito. A casa da gente acabou, a alegria", afirma Elaine Cristina.

O motorista do carro que atingiu os jovens é Reginaldo Ferreira da Silva de 41 anos. Ele foi preso em flagrante, e foi indiciado por homicídio doloso e embriaguez ao volante. Isso porque, segundo a polícia, ele admitiu em depoimento que ingeriu bebida alcoólica. Já o condutor do outro veículo, Paulo Henrique de Oliveira Mota Batista, de 22 anos, chegou a prestar depoimento na delegacia e depois fugiu. O advogado Edson Reis, que representa Reginaldo Ferreira da Silva, informou que a decisão do juiz do fórum de Brás Cubas foi de que o acusado iria a júri popular respondendo por seis homicídios e oito tentativas de homicídios. Mas, a defesa recorreu da decisão no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e aguarda decisão.

Os moradores do bairro fizeram uma camiseta em homenagem às vítimas com fotos dos jovens. No local do acidente, a Prefeitura instalou uma lombada e placa de sinalização. No entanto, para quem passa pelo local as medidas não são eficientes. Eles alegam que o movimento de crianças que vão e voltam da escola é grande durante todo o dia. "Ele vem bêbado de lá e passam. No sábado retrasado teve um acidente feio aqui", conta Elaine.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...