Novos áudios entregues por Joesley incriminam ministro de Temer

8 de Outubro de 2017 00:26

8 0

PGR analisa conversa gravada por Joesley com Marcos Pereira. No diálogo, o ministro evita falar a palavra dinheiro.

A Procuradoria-Geral da República está analisando mais uma conversa gravada pelo empresário Joesley Batista. Seria a prova de pagamento de propina ao ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, do PRB.

A gravação foi publicada no site da revista Veja. Nela, o empresário Joesley Batista conversa com o ministro Marcos Pereira. No diálogo, o ministro evita falar a palavra dinheiro. Fala apenas em números, mas o empresário cita a palavra saldo e indica que estão tratando de repasse de propina.

Joesley: Deixa eu te falar, cê aqui, você lembra? Eu não lembro mais a conta..

A Procuradoria-Geral da República ainda não se manifestou em relação a esse diálogo, porque ainda vai analisar o teor e o contexto em que foi gravado. Foi Joesley Batista quem entregou a gravação ao Ministério Público Federal. Seria a prova do que ele disse em sua delação premiada.

Em depoimento aos procuradores da Lava Jato, Joesley contou que combinou de pagar R$ 6 milhões em propina ao pastor Marcos Pereira, do PRB. Em contrapartida, o ministro teria ajudado a JBS na liberação de empréstimo na Caixa Econômica Federal.

Joesley disse ainda que a negociação começou em 2015, quando Marcos Pereira era presidente do partido. E que parte da propina foi paga no ano passado. Pereira assumiu o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços em maio de 2016.

“O Marcos Pereira me procurou, falei está bom, está certo, 6 milhões. Marcos, como é que a gente faz? A gente conversando ali, já tava confusão de Lava Jato, não sei o que. Durante o ano de 2016 eu fiz pagamentos de R$ 500 mil. Fui eu diretamente que fiz a ele. De R$ 500 mil em dinheiro eu fiz para ele. Enfim, de tempos em tempos ele me cobrava, me mandava mensagenzinha. Tudo bem, e tal? Eu já entendia que era, né? E aí à medida que eu ia conseguindo eu combinava com ele lá em casa e tal, e foi sendo feito”, disse Joesley.

Joesley também entregou aos investigadores mensagens de texto trocadas com Marcos Pereira pelo celular. O empresário continua preso e pode perder os benefícios do acordo de delação. Essa decisão ainda será tomada pelo Supremo Tribunal Federal, mas as provas apresentadas na delação continuam válidas.

O ministro Marcos Pereira é alvo de um inquérito aberto no STF em outro caso, relacionado às delações da Odebrecht. Os delatores afirmaram ter feito repasses de R$ 7 milhões para o PRB. O pagamento teria sido feito diretamente ao ministro Marcos Pereira.

A assessoria de Marcos Pereira declarou que o ministro não vai comentar o que chamou de gravações ilícitas, e que os advogados vão provar que ele é inocente.

Leia também: Zeca obriga Ritinha a confessar que ele é o pai de Ruyzinho

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...