Polícia faz reconstituição da morte do menino Eduardo em ação no Alemão

17 de Abril de 2015 18:52

3 0

A Policia Civil realiza desde a manhã desta sexta-feira (17) a reconstituição da morte do menino Eduardo de Jesus, 10. Ele levou um tiro na cabeça na porta de sua casa na região do Areal, do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, no último dia 2.

Testemunhas acusam um policial de ter disparado o tiro que matou a criança. O governador Luiz Fernando Pezão admitiu, nesta semana, que a PM errou na ação. Segundo ele, a corporação já elaborou uma série de treinamentos para os seus agentes.

Para o Promotor Homero das Neves, que acompanha a reconstituição, o importante é descobrir se os policiais poderiam ter visto o menino antes de disparar o tiro que o matou. Segundo ele, os policiais alegam que não o viram.

No momento do tiro, os policiais desciam pelo beco onde fica a casa de Eduardo. O menino estava sentado numa curva do lado de fora.

A ex-vizinha da família, Josilene Rodrigues Alves, 21, diz que estava de passagem quando ouviu o tiro. "Não teve conflito nenhum. Só deram um tiro. Foi o policial que matou ele", disse ela.

"Não passaremos a mão na cabeça de ninguém", disse o delegado Rivaldo Barbosa, da Delegacia de Homicídios, antes do início da reconstituição.

Duas outras reconstituições estão sendo realizadas para averiguar as circunstâncias da morte de outras duas vítimas do Complexo do Alemão: Elizabeth de Moura Francisco, 41, baleada no último dia 1º dentro de sua casa, e o PM Uanderson Manuel Gomes da Silva, em setembro de 2014.

As três reconstituições reúnem um total de 120 policiais, oito delegados e dez peritos. Segundo o representante de Relações Públicas do Comando de Polícia Pacificadora, major Marcelo Corbage, as investigações podem durar até o início da noite.

Leia também: Para delegado, morte de funcionária de ministério foi premeditada

Fonte: 1.folha.uol.com.br

Para página da categoria

Loading...