Promotor condenado por estupro é transferido para sede dos Bombeiros

17 de Abril de 2015 19:05

4 0

Promotor condenado por estupro é transferido para sede dos Bombeiros

Carlos F. Barbosa de Araújo foi condenado a 76 anos por estuprar as filhas.Segundo advogado, promotor tem direito a cela especial.

O promotor de Justiça Carlos Fernando Barbosa de Araújo, 58, condenado a 76 anos de prisão por três estupros e oito atentados ao pudor contra duas filhas e uma enteada, foi transferido, nesta sexta-feira (17), para o Quartel Geral do Corpo de Bombeiros (CBM), onde deve cumprir a pena.

"Solicitamos à Justiça que meu cliente fosse transferido porque ele tem direito a ficar preso em uma cela especial", disse o advogado de defesa, Welton Roberto, ao ressaltar que a decisão do desembargador João Luiz saiu no último dia 15 e está sendo cumprida hoje.

Antes de ser encaminhado para o quartel do Corpo de Bombeiros, no bairro do Trapiche, em Maceió, Araújo foi submetido a exame de corpo de delito, no Instituto Médico Legal (IML), no bairro do Prado.

Prisão O promotor foi preso no dia 23 do mês passado, no Amapá, após ficar foragido por quatro meses. Ele foi encaminhado para Alagoas dois dias depois e, em seguida, levado para o Presídio Baldomero Cavalcanti, no bairro do Tabuleiro, em Maceió.

O promotor de Justiça Carlos Fernando Barbosa de Araújo, 58, condenado a 76 anos de prisão por três estupros e oito atentados ao pudor contra duas filhas e uma enteada, foi transferido, nesta sexta-feira (17), para o Quartel Geral do Corpo de Bombeiros (CBM), onde deve cumprir a pena.

"Solicitamos à Justiça que meu cliente fosse transferido porque ele tem direito a ficar preso em uma cela especial", disse o advogado de defesa, Welton Roberto, ao ressaltar que a decisão do desembargador João Luiz saiu no último dia 15 e está sendo cumprida hoje.

Antes de ser encaminhado para o quartel do Corpo de Bombeiros, no bairro do Trapiche, em Maceió, Araújo foi submetido a exame de corpo de delito, no Instituto Médico Legal (IML), no bairro do Prado.

Crimes Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, além dos estupros e atentados ao pudor, o promotor de Justiça teria produzido pornografia infantil com as vítimas. Os crimes teriam sido praticados por dez anos, entre 1993 e 2003. O caso foi denunciado em 2006 por uma das filhas do acusado.

A ação criminal foi recebida pela Justiça em julho de 2007. Paralelo à apreciação da denúncia, o Ministério Público afastou das funções o promotor de Justiça.

Antes da condenação, ele ainda chegou a ser preso preventivamente em 2009, mas foi solto por excesso de prazo da prisão pela falta de julgamento.

Além dos 76 anos de prisão em regime fechado, Carlos Araújo foi condenado a pagar 250 dias multa de 1/3 do salário mínimo.

À época do julgamento, o advogado Welton Roberto pediu a absolvição do cliente pela acusação de estupro da filha mais velha, mas disse entender a condenação pelo atentado violento ao pudor contra outra filha e uma enteada, ao tirar fotos íntimas delas, no entanto, sem cometer violência física sexual.

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...