Que sina! LANCE! relembra 13 promessas que não vingaram

13 de Março de 2015 20:37

4 0

O número 13 gera uma relação de amor e pavor nas pessoas. Zagallo, por exemplo, tem a numeração como porto seguro. Já para grande parte, o numeral não é sinônimo de boas energias. Que dirá a sexta-feira 13.

Aproveitando o embalo nesta surperstição, o LANCE! fez uma lista com 13 promessas do futebol nacional que surgiram cercadas de grande expectativa, mas acabaram não vingando. Confira a relação abaixo.

Kerlon não teve o mesmo destaque na carreira depois que deixou o Cruzeiro (Foto: Andre Brant/LANCE!Press)

Kerlon surgiu no Cruzeiro em 2005 e logo virou sensação entre os torcedores. O meia-atacante, inclusive, ganhou grande notoriedade após driblar o lateral Coelho, em um clássico contra o Atlético-MG, em movimento parecido com o de uma foca. Ganhou o apelido de foquinha, mas desde então o sucesso parou. Forçou a saída da Raposa e foi contratado pela Inter de Milão. No entanto, não vingou no Velho Continente. Além disso, teve várias cirurgias nos dois joelhos. Voltou a atuar por times pequenos no Brasil e acertou nesta semana com uma equipe americana.

Rodrigo teve seu papel de protagonista na carreira pelo Botafogo (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Rodrigo começou na Portuguesa Santista. Depois de atuar por Guarani e Gama, chamou a atenção do Botafogo. No clube carioca viveu sua melhor fase na carreira, sendo um dos principais jogadores do elenco Alvinegro. Chegou a atuar pelo Atlético-MG em 2002 e teve uma passagem pelo Everton, da Inglaterra, mas sem muito sucesso. Ainda atuou em grandes clubes como Corinthians e Vasco, mas não engrenou de vez. De herança do futebol ficou o apelido Beckham, pela semelhança com o astro inglês.

Keirrison surgiu como o camisa 9 com faro de gols no Coritiba (Foto: Felipe Gabriel/LANCE!Press)

O caso de Keirrison é um dos mais emblemáticos da lista. Grande promessa do Coritiba, o atacante começou a carreira profissional fazendo gols e dando mostras de que seria artilheiro por onde atuasse. Foi para o Palmeiras e continuou o ritmo de gols e boas atuações. No meio do ano, abandonou o clube paulista e fechou com o Barcelona. O sonho parecia não ter limites. E foi ai que começou um verdadeiro pesadelo. Emprestado diversas vezes pelo clube catalão, Keirrison viu os gols desaparecerem e as contusões e cirurgias virarem rotina na carreira. Acabou retornando ao Coritiba. Não tem o mesmo papel de protagonista, mas ainda segue na tentativa de recuperar os bons momentos iniciais.

Cortez viveu a melhor fase no Botafogo, quando chegou à Seleção (Foto: Alezandre Loureiro/LANCE!Press)

A história de Cortez tem um pouco de Cinderela. Depois de passagens pelo Quissamã, então na Segunda Divisão do Rio, fez um bom Carioca pelo Nova Iguaçu. Chamou a atenção no Botafogo e virou dono da lateral esquerda. As boas atuações levaram o jogador até a Seleção Brasileira. Valorizado, foi vendido ao São Paulo. Desde então, nunca mais repetiu os bons tempos. Já foi emprestado ao Benfica, de Portugal, e passou pelo Criciúma. Atualmente está no futebol japonês.

Morais nunca caiu totalmente nas graças da torcida do Vasco (Foto: Gilvan de Souza/LANCE!Press)

Morais é, na lista, quem tem uma das histórias mais conturbadas. Após uma boa Copa São Paulo, foi lançado no time profissional do Vasco. Durante o Carioca de 2004, brigou com a diretoria do clube na hora de renovar o contrato e saiu pela porta dos fundos. No Atlético-PR não vingou. Encostado, acabou retornando ao Cruz-Maltino em 2005. Teve boas atuações nos três anos seguintes, mas sempre foi questionado por não aparecer em jogos decisivos. Em 2008 pediu para ser negociado. Foi para o Corinthians, anunciou aposentadoria, retornou e teve uma rápida passagem pelo Atlético-MG. Hoje defende o CRB, em sua cidade natal, Alagoas.

Lulinha subiu para o profissional do Corinthians cercado de expectativa (Foto: Arquivo LANCE!)

Lulinha subiu ao profissional do Corinthians em 2007 com as seguinte credencial: maior artilheiro das categorias de base do clube, com 297 gols. Foi utilizado no Brasileiro daquele ano e teve boas atuações. No entanto, não conseguiu evitar o rebaixamento do clube. A partir de 2008, no entanto, nunca mais engrenou. Foi emprestado diversas vezes antes do fim do contrato. Passou pelo Ceará e Criciúma. Atualmente defende o Red Bull no Campeonato Paulista.

Renan acabou não foi bem na passagem pelo Corinthians (Foto: Edson Lopes Jr./LANCE!Press)

Renan apareceu com destaque pela primeira vez em 2010, quando foi convocado para a Seleção Brasileira. Teve grandes atuações vestindo a camisa do Avaí e despertou interesse de grandes clubes brasileiros e da Europa. Fechou com o Corinthians em 2011, mas falhou quando recebeu oportunidades. Foi relegado ao posto de terceiro goleiro e começou a ser emprestado para diversos clubes. Atualmente defende o Caxias, do Rio Grande do Sul.

Um jogador com 10 clubes no currículo deve beirar o fim da carreira, certo? No caso de Jean Chera não. Com 19 anos, esse é o atual cenário. Contratado pelo Santos junto ao ADAP, do Paraná, recebia na base o mesmo tratamento de joia que Neymar. No entanto, a dificuldade de relacionamento de seu pai e empresário com a diretoria santista deu início a jornada de Jean. Passou por Flamengo, Atlético-PR, Cruzeiro, Genoa (ITA?), mas nunca confirmou todo o seu potencial. Atualmente está no Cuiabá.

Nélio foi apontado por muitos como o novo Zico (Foto: Bruno Domingos/LANCE!Press)

Todo jogador da categoria de base do Flamengo, que atua como apoiador e tem destaque, vive uma sina: ser o novo Zico. Com Nélio não foi diferente. Grande nome dos juniores no início dos anos 2000, o jogador era apontado como a principal revelação do Rubro-Negro pós-Galinho. No entanto, o sucesso parece ter subido a carreira de Nélio, que teve saída conturbada do clube e nunca justificou as análises na carreira profissional.

Lenny gerou grande expectativa no Fluminense (Foto: Julio Cesar Guimaraes/LANCE!Press)

Lenny subiu para o profissional do Fluminense em 2006 e virou sensação no time e torcida. Com velocidade, dribles e belos gols, logo recebeu elogios e tratamento de craque. No entanto, foi perdendo a regularidade aos poucos devido também a lesões. Foi emprestado ao Braga, de Portugal, e quando retornou foi para o Palmeiras. Na equipe paulista teve alguns bom momentos,mas nunca vingou. Atuou por pequenos clubes.

Lucas Gaúcho foi destaque do São Paulo na Copa São Paulo de 2010 (Foto: Wagner Meier/LANCE!Press)

Lucas Gaúcho foi um dos destaques do São Paulo na Copinha de 2010. Ele foi autor de nove gols e terminou como o artilheiro. De quebra, o Tricolor do Morumbi sagrou-se campeão. Em alta, Lucas foi para o time principal, ganhou convocações para a Seleção de base e também foi campeão com a camisa canarinho. No entanto, lesões e a concorrência pesada comprometeram a sua carreira. Atualmente está no futebol do Omã.

Roma lembrava o porte de Romário, mas não teve o mesmo sucesso do Baixinho (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

Roma começou no Remo, mas chegou no Flamengo ainda nas categorias de base do clube. Teve altos e baixos e nunca vingou. Tinha essa alcunha pela semelhança com Romário. Após sair do Rubro-Negro carioca atuou em clubes menores da Europa, Arábia Saudita e Coreia do Sul.

Ciro teve passagem pelo Fluminense, mas não se firmou (Foto: Gilvan de Souza/LANCE!Press)

Ciro surgiu muito bem no Sport em 2008. As boas atuações na base e no profissional do Rubro-Negro pernambucano fizeram com que o atacante fosse apontado como a maior revelação do Nordeste dos últimos anos. Em 2011, Ciro foi para o Fluminense e até teve um início promissor. No entanto, foi perdendo espaço e não decolou em um grande centro. Passou por Figueirense, Bahia e Atlético-PR. Atualmente defende o Luverdense.

Fonte: extra.globo.com

Para página da categoria

Loading...