Salvador tem manifestação pelo Dia das Mulheres e pela Petrobras

13 de Março de 2015 20:36

3 0

Salvador tem manifestação pelo Dia das Mulheres e pela Petrobras

Uma manifestação anual a favor dos direitos das mulheres acontece na tarde desta sexta-feira (13) no Centro de Salvadore incorpora atos em defesa da reforma política, da Petrobras e do governo federal. Segundo participantes, a ação já estava programada antes da série de protestos em prol da estatal marcada para esta sexta em várias cidades do país.

O protesto no Campo Grande é realizado por frentes sindicais, entre elas a Central Única dos Trabalhadores (CUT), movimentos feministas e alas de defesa das mulheres em partidos políticos. De acordo com a Polícia Militar, 1.200 participam do protesto. Já a CUT diz que 3.000 estão na manifestação.

A Marcha das Mulheres começou por volta das 16h30 e percorre cerca de 2 km até a Praça Castro Alves, acompanhada de trio elétrico. O protesto engarrafa o trânsito no entorno do Campo Grande, informa a Transalvador. Pela manhã, militantes, líderes sindicais e movimentos sociais participaram de um protesto "pró-Petrobras" no bairro Itaigara.

"Estamos comemorando o Dia da Mulher porque, no domingo (8), por ser um final de semana, poderia deixar de contar com muitas das nossas companheiras. Nós estamos comemorando também os 83 anos do voto feminino e as leis a favor da mulher. Aproveitamos a marcha para lutarmos pela Petrobras porque ela é nossa. É um bem dos brasileiros" , afirmou Luciana Cruz, uma das coordenadoras da Marcha das Mulheres e secretária de Mulheres do PSB da Bahia.

"Esta marcha é importante em dois aspectos. Um por ser a marcha da mulher, pela defesa dos nossos direitos, e outro é em defesa da democracia. Somos um país democrático e nós não podemos retroceder", disse Marleide dos Santos, presidente do Sindicato das Assistentes Sociais do Estado da Bahia (SASB).

"Os brasileiros escolheram Dilma e estamos aqui hoje na luta contra um golpe que estão tentando dar na democracia", disse Desirrer Ramos.

Entidades como o Sindicato dos Químicos e Petroleiros da Bahia (Sindiquímica) comparecem ao ato e manifestam apoio à Petrobras, estatal investigada na Operação Lava Jato. O diretor do sindicato, José Pinheiro, cobrou do governo federal a revogação das novas regras para acesso a benefícios previdenciários.

"Estamos a favor da Petrobras e na luta conta a medida provisória 664 e 665, que alterou leis do seguro desemprego e com relação aos casos de afastamento. Os trabalhadores precisam ir pra rua porque isso foi um golpe do governo contra os trabalhadores", disse o diretor do Sindiquímica.

Além do Sindiquímica e da CUT, participam entidades como o Sindicato dos Bancários da Bahia e Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e da Madeira no estado da Bahia (Sintracom).

Fonte: g1.globo.com

Para página da categoria

Loading...