Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

No ano da fake news, Ele Não e Ele Sim colocaram até famílias em pé guerra

30 de Dezembro de 2018 11:12
134 0
No ano da fake news, Ele Não e Ele Sim colocaram até famílias em pé guerra

Protestos, brigas nas redes sociais e notícias falsas geraram muita discussão este ano

Entre “ele não”, “ele sim” e “fake news”, a constatação sobre 2018 é quase unânime: a divisão de lados e posicionamentos políticos escancarou e estremeceu muita relação, de amigos a familiares. No ano em que Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito presidente da República, protestos favoráveis e contrários, além de brigas nas redes sociais, marcaram o dia a dia, especialmente entre setembro e novembro.

O “fenômeno” que ganhou força foram as chamadas “fake news”, em tradução para o português, notícias falsas. O volume das mentiras foi grande até mesmo no dia da votação, em Campo Grande, e em outras cidades espalhadas pelo Brasil.

A situação foi tão intensa que o presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), João Maria Lós, iniciou seu discurso, durante a diplomação dos eleitos no Estado, em 14 de dezembro de 2018,

Afirmou, ainda, que as mentiras serão investigadas, mas que, de um modo geral, a tensão nas eleições não representa, necessariamente, algo negativo. Ao contrário, para ele, significa que as pessoas estão mais atentas e engajadas no processo eleitoral.

Ainda sobre as notícias inverídicas, em outubro deste ano, a justiça eleitoral determinou a remoção de uma página no Facebook, chamada MS Sem Corrupção, por ter publicado conteúdo de “natureza difamatória” contra o governador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), na época candidato. As mensagens de cunho eleitoral foram consideradas fake news.

Fonte: campograndenews.com.br

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0