Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Petrobras: produção de petróleo em maio cresce 3,9% com relação a abril

19 de Junho de 2017 13:54
18 0

Média foi de 2,18 milhões de barris por dia

A Petrobras divulgou, nesta segunda-feira (19), dados sobre a sua produção em maio. Segundo a estatal, a produção total de petróleo e gás natural foi de 2,80 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), sendo 2,68 milhões boed produzidos no Brasil e 120 mil boed no exterior. A produção média de petróleo no país foi de 2,18 milhões de barris por dia (bpd), volume 3,9% superior ao de abril.

Segundo a Petrobras, o resultado se deve, principalmente, ao início de produção de mais um projeto, no sul do campo de Lula, na Bacia de Santos, através da plataforma P-66, no dia 17 de maio; ao retorno à produção após parada para manutenção das plataformas P-37 (campo de Marlim na Bacia de Campos) e FPSO Cidade de Angra dos Reis (campo de Lula), assim como a entrada de um novo poço produtor no campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos.

A produção de gás natural no Brasil, excluído o volume liquefeito, foi de 78,9 milhões de m³/d, 0,5% acima do mês anterior.

Em maio, a produção de petróleo e gás natural operada pela Petrobras (parcela própria e dos parceiros), na camada pré-sal, foi de 1,57 milhão de boed, volume 5,1% acima do realizado no mês anterior. Esse resultado decorreu, principalmente, do início da produção do projeto Lula Sul, através da P-66, e do retorno à produção após parada para manutenção da plataforma FPSO Cidade de Angra dos Reis.

A estatal destaca que, na comparação com maio de 2016, houve um aumento de 37% da produção da camada pré-sal.

A produção de petróleo nos campos do exterior foi de 65 mil bpd, volume 1% acima do mês anterior. Esse desempenho resultou, principalmente, da entrada em produção de um novo poço no campo de Saint Malo, nos EUA.

A produção de gás natural foi de 9,3 milhões de m³/d, 3% abaixo do volume produzido em abril de 2017. Essa redução foi consequência, principalmente, da menor demanda da produção de gás na Bolívia.

Fonte: jb.com.br

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0