Receba atualizações de notícias ao minuto sobre os temas mais quentes com a NewsHub. Instale já.

Turismo em Berlim a baixo custo: o que fazer em três dias por 50 euros

14 de Abril de 2015 10:02
7 0
Turismo em Berlim a baixo custo: o que fazer em três dias por 50 euros

Para mergulhar de cabeça na capital alemã, o viajante só precisa de três coisas: 50 euros, três dias e muita vontade de conhecer a cidade. Isso é possível graças a dois cartões especialmente pensados para turistas que querem conhecer Berlim, mas têm um orçamento apertado

O prefeito de Berlim disse uma vez que a cidade era "pobre, porém sexy". Talvez por isso seja tão solidária com o turista que viaja com um orçamento pequeno. Dois cartões turísticos permitem conhecer a capital alemã em três dias por somente 50 euros (R$ 162).

O Museum Card Berlin oferece acesso a mais de 50 museus durante três dias seguidos por 24 euros (R$ 78), incluindo os famosos estabelecimentos da ilha dos Museus, as interessantes pinacotecas de Kulturforum e Potsdam, além de outros curiosos museus especializados espalhados por toda a cidade.

O Berlin Welcome Card, por sua vez, inclui todos os meios de transporte urbanos (bonde, ônibus e metrô) por 26,50 euros (R$ 86), sem limite para poder descobrir cada esquina de Berlim. Além de centenas de descontos entre 20% e 50% em lugares turísticos, lojas e restaurantes da cidade. Com esses dois cartões na carteira, e com um gasto de aproximadamente 50 euros, Berlim se abre para o viajante.

Adquirir os dois cartões é a primeira coisa que o turista deve fazer ao chegar à cidade para aproveitar seu tempo e seu dinheiro. Os mais precavidos podem fazer a compra por internet nos sites www.berlin-welcomecard.de/en e www.visitberlin.de/en/welcomecard. Também é possível comprá-los nos aeroportos e pontos de turismo da estação central ou da Portão de Brandemburgo, e até em alguns hotéis.

— O Pergamo Museum, com sua impressionante coleção de arte islâmica, suméria e assíria, tem peças como o altar de Pérgamo original ou a porta de Istar.

— O Neues Museum, dedicado às coleções da pré-história e Egito, onde o turista poderá ver, por exemplo, o busto de Nefertiti.

Ambos podem ser visitados com o Museum Card. O preço de cada um deles é 14 euros (R$ 45), desta forma só com essas duas visitas o valor do cartão já está amortizado.

O primeiro dia pode ficar completo com uma visita ao Bode Museum, dedicado à história da Idade Média e do Império Bizantino, e o Altes Museum, de arte romana.

Depois de tanto museu, ou entre uma visita e outra, pode ser uma boa ideia passear pela zona e ver a cidade do alto. Para tal, há duas opções próximas da ilha dos Museus. A primeira seria visitar o Humboldt Box, um pequeno museu com paredes de vidro e excelentes vistas, onde o turista pode tirar fotos interessantes e cuja entrada está incluída na Museum Card. A segunda é visitar a torre de TV, onde estão as melhores vistas da cidade. Esta é uma opção fantástica para quem visita a capital alemã pela primeira vez, pois do alto da torre é possível ver diferentes bairros, os lugares por onde passava o muro e os principais monumentos. A entrada custa 12 euros (R$ 39), mas os portadores da Berlin Welcome Card têm um desconto de 25% (com ele, o preço fica em 8,80 euros, ou R$ 29).

A Welcome Card Berlin vem com um desconto de 5 euros para consumir no restaurante da torre, onde um prato acompanhado de bebida pode custar cerca de 20 euros por pessoa. Mas se a ideia é gastar menos, debaixo da torre, na famosa Alexanderplatz, há muitos postos de alimentação bastante econômicos, onde o turista pode encontrar diversos pratos típicos alemães e comer a famosa salsicha currywurst acompanhada de cerveja por 5 euros (R$ 16).

O Welcome Card também oferece descontos de 25% para os passeios de barco que saem da mesma zona dos museus. Se ainda der tempo, o visitante deve passear pelo boulevard Unter den Linden, que vai até o Portão de Brandemburgo. Ao lado do portão, está o Bundestag, cuja cúpula pode ser visitada gratuitamente com reserva prévia (www.bundestag.de).

A Potsdamer Platz é um dos novos centros que surgiram em Berlim depois da queda do Muro e que foi rapidamente ocupado por modernos edifícios de negócio. Se a ilha dos Museus e o Portão de Brandemburgo remetem à época dourada de Berlim antes do nazismo e da guerra, a Potsdamer Platz olha para o futuro sem esquecer o trágico legado que o século 20 deixou nesta parte da cidade.

Na região, o turista pode visitar, com o Museum Card, o Bauhaus-Archiv Museum, uma parada obrigatória para os amantes da arquitetura e do design moderno. E a menos de 10 minutos a pé, estão a Neue Nationalgalerie, uma pinacoteca de arte contemporânea com obras de Picasso, Klee e dos expressionistas, e a Gemaldegalerie, cuja coleção conta com 2,7 mil obras do século 15 ao 19 (Tiziano, Brueghel, Durero etc.). As duas estão incluídas no cartão.

O Museu Judeu também fica na Potsdamer Platz, perto da parada de metrô Kochstrasse. Incluído no Museum Card, o local sem dúvida deve ser visitado para não esquecer as duras lições que a intolerância deixou na cidade. Muito perto dali, e com acesso gratuito para qualquer turista, também é possível visitar a antiga sede da polícia secreta da Alemanha Oriental, a Stasi, e a Topografia do Terror, localizada no antigo edifício da Gestapo, a polícia secreta do nazismo.

Para aqueles que não puderam subir na torre de televisão, aqui há uma segunda oportunidade para desfrutar as vistas da cidade. O arranha-céu de tijolo da zona oferece a possibilidade de subir ao último andar, Panoramapunkt, para tomar um café ou uma cerveja com vista para praça de Potsdamer e o Tiergarten, uma espécie de Central Park berlinense.

Na mesma região, o visitante pode conhecer o Check Point Charlie e vários museus sobre a Guerra Fria, para os quais a Welcome Card Berlin oferece descontos de 25%.

Para quem conseguiu visitar todos os pontos turísticos anteriores em dois dias, o que não é tarefa fácil, o terceiro dia é o momento ideal para se perder pelos bairros.

Há muitos rumos e destinos na cidade. O ônibus urbano 200, que atravessa todo o centro de Berlim, vai até um dos extremos da antiga parte oriental onde ainda é possível ver os impressionantes conjuntos habitacionais da era comunista.

Na zona oeste, o turista pode visitar o palácio de Charlottenburg ou o impressionante Estádio Olímpico onde Hitler celebrou os jogos de 1936, ambos com descontos para os portadores da Welcome Card.

Passear pela comercial Friedrichstrasse, no centro (Mitte), ou pela boêmia e cool Friedrichshain, que separa os bairros de Prenzlauer Berg e Friedrichshain, ou vagar sem rumo pelo bairro turco de Kreuzberg são possibilidades fascinantes e gratuitas.

Outra opção é visitar os armazéns KaDeWe na Rua Tauentzien, uma espécie de Harrods de Berlim, porém o risco de terminar comprando algum suvenir aqui é altíssimo.

Pensando bem, e para dizer a verdade, três dias não são suficientes para conhecer a cidade porque ainda nem falamos da vida noturna, né?

— Para visitar a torre de televisão ou o Bundestag nos fins de semana, é preciso reservar com antecedência pela internet.

— Há transporte público dos aeroportos a qualquer ponto da cidade por 2,60 euros (ônibus ou metrô).

— É importante validar as passagens antes de entrar no transporte público, caso contrário, a multa pode ser de 600 euros.

Fonte: anoticia.clicrbs.com.br

Partilhe nas redes sociais:

Comentários - 0